Há mais de 70 anos atrás foi publicado pela primeira vez o livro O Pequeno Príncipe, um dos livros mais amados, um dos mais traduzidos no mundo, e muito referenciado por outros autores, cineastas, filósofos e seus amigos do Facebook. Antoine de Sait-Exupéry é o autor desse livro, que, acidentalmente (ou não), acabou criando um legado que tem relevância até hoje. Hoje estreia mais uma obra baseada nesse livro que mudou a vida de muitas pessoas (inclusive a minha).

O-pequeno-príncipeSobre o Livro

Antes de falar do filme, preciso falar um pouco sobre o assunto do livro O Pequeno Príncipe, caso alguém não conheça. Baseado nas próprias experiências do autor, o livro conta a história de um aviador que sofre um acidente e acaba isolado no deserto do Saara. Lá ele acaba encontrando um menino que ele apelida de Pequeno Príncipe, que veio de outro planeta. O Pequeno Príncipe então conta sua história e descreve os lugares que visitou e as pessoas que conheceu pelo ponto de vista ingênuo de uma criança. O que parece ser uma história infantil torna-se uma crítica social, abordando questões como solidão, alcoolismo, relacionamentos, a pressão social em que vivemos e até mesmo sobre a morte. O livro é tão carregado de significados que faz com que seja difícil até mesmo escrever uma sinopse.

O filme, de mesmo nome, conta a história de uma menina que acaba ficando amiga do aviador. Sua vida é cheia de regras: seu dia inteiro é meticulosamente planejado pela sua mãe, que trabalha fora, o dia inteiro, e que sonha que a filha consiga entrar nessa escola de elite. Por isso elas se mudaram para o bairro onde fica essa escola. Só que a casa vizinha é totalmente diferente das outras, e o morador não é muito querido pela vizinhança. A rotina da garota é bagunçada pelo velhinho da casa ao lado, que joga um avião de papel em cima da sua mesa de estudos. Dentro do papel está escrito a primeira página do Pequeno Príncipe.

Sobre o Filme

O filme é dirigido por Mark Osbourne (Kung Fu Panda) e a versão original do filme é dublada em francês e tem um elenco de muita credibilidade: Jeff Bridges (Bravura Indômita), Rachel McAdams (O Diário de Uma Paixão), Marion Cottilard (A Origem, Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge), Benício Del Toro (o colecionador de Guardiões da Galáxia), Paul Giamatti (o Rino de Espetacular Homem Aranha 2 e vários outros filmes de comédia), além de outros. Eu assisti ao filme dublado, porque não havia nenhuma sessão com o áudio original, mas a dublagem não decepciona.

O filme impressiona visualmente. As ilustrações originais do livro foram feitas pelo próprio autor, e aqui no filme, os artistas tiveram o cuidado de adaptar essas ilustrações para a animação da forma mais singela possível. Depois que o aviador e a garota se conhecem, ele continua contando a história para ela e, enquanto o filme possui uma animação 3D, a história do livro é contada em stop motion, com personagens e o mundo literalmente feitos de papel.

O Aviador, Rose e um telescópio

A trama do filme é construída paralela a história do livro, se falarmos sobre amizade entre uma criança e um adulto. Só que aqui no filme, é papel do aviador ensinar para a garota o que ela não aprendeu na sua vida cheia de pressões e expectativas da mãe. Uma das frases mais famosas do livro é: “Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos” e ela é muito bem abordada no filme. Para a sociedade, é essencial que você se encaixe em um molde “bem-sucedido”, ganhe dinheiro, tenha seu carro, sua casa e contribua para a sociedade. Mas poucos se questionam se isso realmente o faz feliz. O que é essencial de verdade é jogado para segundo plano.

Me faltam as palavras e talvez o conhecimento suficiente para falar sobre esse filme. Ou talvez os assuntos abordados sejam tão profundos, que eu não consiga explicar. Falta palavras para descrever os sentimentos passados. Ao ler o que escrevi, soa completamente desengonçado. Só sei que saí da sala do cinema pensando: Estou vivendo errado. Poucos filmes têm esse poder. Eu me confesso uma eterna fã de Pequeno Príncipe e talvez isso tenha contribuído para o sentimento que senti ao assistir esse filme. O filme não existe sem o livro e o fato de ter lido o livro antes fez uma grande diferença aqui. Mas acredito que o filme funcione mesmo para aqueles que não conheçam a história. A mensagem abordada é a mesma. Mais do que tudo, o filme é uma grande homenagem ao Pequeno Príncipe e o seu significado. É um filme, por falta de uma palavra melhor, cativante. Simplesmente assista e não se importe muito com minhas palavras.

Leave a Reply

Your email address will not be published.