Natsume Yuujinchou ou Natsume: O livro dos amigos em tradução livre, é uma animação japonesa que conta três tipos de história. A primeira, de Takashi Natsume, um menino capaz de ver espíritos (ou Yokais) e busca sempre ajudá-los. A segunda, de Reiko, avó de Takashi que, ao falecer, deixa um livro – no qual domina o livre arbítrio de muitos espíritos – para seu neto. E a terceira, dos próprios espíritos dos mais variados contextos, repletas de situações, desejos e desavenças não resolvidas.

Takashi devolvendo um nome

O anime se destaca pelo seu conceito. É um mundo repleto de espíritos fantásticos invisíveis ao olho humano, ao melhor estilo do folclore japonês que acredita nos seres sobrenaturais como criaturas livres, capazes tanto de fazer o bem quanto o mal, apenas suas ações podem defini-los como demônios ou espíritos. Não predestinações divinas.

Fios condutores de narrativa

O fio condutor dessa narrativa é Takashi Natsume, que busca devolver o livre arbítrio dos espíritos que foram “roubados” por sua avó e postos no Livro dos amigos*. Durante suas tentativas de ajudar os espíritos, vemos a história de sua avó e somos apresentados a vários espíritos diferentes com problemas a serem resolvidos.

*O espírito que escrever o próprio nome no Livro dos Amigos está sujeito às ordens de seu dono, assim como qualquer coisa que aconteça com a sua página, também acontecerá a ele.

Toda a parte dos espíritos se assemelha muito a contos tradicionais japoneses (ou contos de fadas) de forma muito agradável. Seu roteiro segue o padrão de uma história fechada por episódio, dando a ele a vantagem de conseguir ser assistido de forma avulsa sem grandes problemas.

Takashi sendo seguido por espiritos

Mesmo o assistindo cronologicamente, o anime falha um pouco no quesito de progressão. O que não é um problema, já que o ar de “conto de fadas” pede esse tipo de narrativa e é muito mais interessante ver esses pequenos contos do que a progressão do personagem principal.

Referências certas

Seu visual se assemelha muito ao do filme A viagem de chihiro na criação dos espíritos, de forma positiva, é uma ótima referência que certamente foi utilizada pelos criadores do anime. Eles não se apegam em categorizar ou padronizar as formas de seus personagens espirituais, muitos servem apenas a propósitos estéticos que auxiliam o sentimento que cada espírito deve passar.

Takashi perseguindo um pequeno espirito

O anime é voltado para quem gosta de histórias sensíveis, não busca fazer sentido, nem dar lógica ou respostas para tudo, de forma muito sensata, prefere focar-se em mostrar relações e emocionar o espectador. Se você está atrás de muitas histórias curiosas e sensíveis, este anime pode ser uma boa pedida.

Leave a Reply

Your email address will not be published.